Esse ano eu vou para a academia!

academia

O Ano Novo já passou, o carnaval já acabou e mesmo assim muitas pessoas ainda não colocaram em prática a famosa resolução de início de ano: “Esse ano eu vou para a academia!”. Falta de tempo, falta de dinheiro, falta de ânimo. Muitas são as razões para adiar esse projeto. O fato é que, de acordo com as estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), o sedentarismo é o quarto maior fator de risco para morte, no mundo. Os benefícios da atividade física, em sua maioria, ou não podem ser sentidos, como a diminuição de pressão arterial e diminuição de risco para diabetes, ou ocorrem a longo prazo, como a perda de peso e os efeitos prazerosos que a própria prática de exercícios possibilita depois de um tempo. Acontece que quem entende de comportamento humano sabe muito bem que para um comportamento se manter, é preciso que seja seguido de consequências que aumentem sua probabilidade e essas consequências devem ocorrer a curto prazo (contiguidade).

E aí você vai dizer “Viu só, meu sedentarismo não é falta de força de vontade, mas sim falta de consequências contíguas!!!” (falou bonito!). Quer saber!? Você está certo! Mas calma, nem tudo está perdido. Pelo menos é o que mostra a pesquisa de Andrade, Barry, Litt e Petry (2014). A partir de pesquisas anteriores sobre quais variáveis interferem na manutenção da prática de exercícios físicos, esses autores procuraram desenvolver um procedimento eficaz em fazer com que adultos sedentários passassem a fazer exercícios regularmente e, mais importante, continuassem essa prática mesmo após o fim da intervenção.

Para essa pesquisa foram selecionados adultos que mantinham pouca atividade física. Essa atividade era medida pelo número de passos que a pessoa dava no dia (medido por um pedômetro). Iniciava-se então a intervenção. Durante três semanas todos os participantes usavam o pedômetro e eram incentivados a dar mais de 1000 passos por dia (o que é recomendado pela OMS). Além disso, participavam de reuniões em dias fixos para avaliar a quantidade de exercícios (quantidade de passos). Caso eles tivessem andado mais de 1000 passos, ganhavam um vale e tinham a oportunidade de sortear mais um vale que continha prêmios com valores que variavam entre 1 e 100 dólares. Após as três semanas, os participantes eram divididos em dois grupos. Um em que as atividades eram apenas monitoradas e outro em que os participantes continuavam a ter a oportunidade de receber os vales. A diferença é que agora as reuniões não eram mais em dias fixos e os participantes nunca sabiam quando ocorreriam. Ao longo das semanas, estas reuniões diminuíam. A ideia era retirar gradualmente a possibilidade dos prêmios e ver se isso contribuiria para a manutenção da prática de atividades físicas.

Será que deu certo!? Um número maior de pessoas que passaram pela condição em que a possibilidade dos prêmios ia diminuindo se mantiveram praticando os exercícios, na verificação feita após oito semanas, comparado com os participantes em que a intervenção parou abruptamente (mas vale dizer que alguns deles continuaram suas atividades físicas). Os resultados ainda não são muito robustos, mas nos dão pistas bastante animadoras de como realizar intervenções nessa área.

Nesse momento você deve estar dizendo a si mesmo “Ah, mas se alguém me pagasse eu também faria exercícios”. E quem disse que a pessoa a te pagar não pode ser você mesmo? Os autores sugerem que a própria pessoa pode se dar pequenos prêmios (ou grandes) sempre que se manter fazendo atividades por algum período de tempo. Com isso, aos poucos ela alcançará aquela fase em que o fazer exercícios se tornará prazeroso por si mesmo. E aí, será que não está na hora de finalmente cumprir a tal resolução de Ano Novo?

Quer saber mais?!

Andrade, L. F., Barry, D., Litt, M. D., e Petry, N. M.  (2014). Maintaining high activity levels in sedentary adults with a reinforcement-thinning schedule. Journal of applied behavior analysis, 47(3), 523-536.

Texto postado por Natalia M. Aggio, pesquisadora associada do Departamento de Psicologia da UFSCar)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s